Zanardi
Reprodução/ Youtube

O automobilismo é, inegavelmente, um dos esportes mais perigosos do mundo. Mesmo que os carros fiquem cada vez mais seguros, acidentes fortes acontecem. Infelizmente, alguns pilotos morrem, enquanto que outros tem mais sorte e saem sem ferimentos.

Contudo, o Universo Esporte relembrará um dos acidentes mais impressionantes da historia do automobilismo: o do italiano Alessandro Zanardi, numa corrida da Indy disputada na Alemanha. Um acidente que assustou a todos que assistiam, mas que transformou o piloto em um grande exemplo de motivação.

A carreira de Alessandro Zanardi

Zanardi nasceu em Bolonha no dia 26 de outubro de 1966. Aos 13 anos, começou a correr de kart e foi se destacando até chegar a Fórmula 1 em 1991 pela Jordan. Correu quatro temporadas de forma esporádica e marcando um único ponto pela Lotus no GP do Brasil de 1993.

Em 1996, foi para os Estados Unidos correr na Indy comandada pela CART. Dirigindo uma forte Chip Ganassi, venceu três corridas e foi terceiro no campeonato. Contudo, a consagração veio nas duas temporadas seguintes, com o bicampeonato seguido em 1997 e 1998.

Em 1999, voltou à Fórmula 1 na Williams, mas o carro fraco da equipe inglesa impediu sonhos mais altos e finalizou a temporada sem nenhum ponto marcado e demitido no final da temporada. Em 2001, depois de um ano parado, voltou à CART na Mo Nunn Racing

O acidente

A CART desembarcou na Alemanha com um clima de tristeza. Afinal, naquela terça-feira aconteceu os atentados contra as torres do World Trade Center, em Nova York; e contra o Pentágono, em Washington. A corrida, que era a 15ª da temporada, ia originalmente se chamar German 500, referência aos 500 quilômetros que a corrida seria. Entretanto, em homenagem aos mortos nos Estados Unidos, a corrida teve o nome alterado para American Memorial.

A situação de Zanardi não era das melhores. Sem o forte carro da Ganassi, era apenas o 22º no campeonato, com um quarto lugar em Toronto como o melhor resultado. E como o treino classificatório não aconteceu devido à chuva, o campeonato decidiu o grid, forçando o italiano a partir da 22ª posição.

Contudo, isto não impediu o italiano de fazer uma fantástica prova de recuperação junto com seu companheiro de equipe (o brasileiro Tony Kanaan), ameaçando e dando trabalho para o sueco Kenny Brack, que lutava pelo título dominava a prova até então.

Na volta 143, Zanardi entrou nos boxes para fazer uma parada rápida. Na saída, rodou e entrou na pista, sendo atingido em cheio por Alexandre Tagliani. Para quem deseja, poderá conferir o acidente logo abaixo. Porém recomenda-se cuidado já que as imagens são bastante fortes.

Resgate

O médico da CART, Steve Olvey, chegou a pensar que ambos os pilotos tinham morrido, enquanto que Terry Trammel, ao chegar no local do acidente para o resgate, viu uma poça que ele achava ser de óleo, mas que na verdade era sangue do Zanardi. O acidente cortou as pernas do italiano.

O italiano foi levado as pressas para Berlim em estado gravíssimo, tendo perdido muito sangue. Dizem algumas fontes da época que o coração do italiano parou de bater sete vezes durante o trajeto entre a pista e o hospital. Uma vez no hospital, foi feita uma cirurgia de três horas, e o piloto foi colocado em coma induzido por alguns dias. Olvey disse que se o atendimento tivesse demorado mais dez minutos, Zanardi teria morrido.

Alexandre Tagliani, o outro piloto envolvido no acidente, saiu do carro apenas com dor nas costas e saiu do hospital já no dia seguinte.

Virando símbolo de motivação

A vida de Zanardi no automobilismo parecia ter chegado ao fim. Mas isto não aconteceu. Apesar de ter perdido as pernas, o italiano voltou a correr. Dois anos depois, usando uma prótese, correu no europeu de turismo. Além disso, quando a CART foi correr na Alemanha em 2003, o piloto entrou no carro que usou na fatídica prova e fez as voltas que lhe faltavam. Em 2005, estreou no mundial de turismo, por onde ficou por quatro anos, inclusive vencendo corridas.

Contudo, foi no ciclismo que ele se transformou em um sinal de motivação. Competindo nas Paralimpíadas de Londres-2012 e Rio de Janeiro-2016, ganhou quatro medalhas de ouro e duas de prata. Infelizmente, em 2020 ele sofreu um forte acidente e novamente ficou entre a vida e a morte. Atualmente, pouco se sabe sobre o seu estado de saúde, mas sua esposa afirma que ele fala normalmente.

Enfim, para finalizar esta matéria, vamos citar uma fala de Tony Kanaan. “Sempre me perguntei por que coisas ruins acontecem com pessoas boas como Zanardi. A única resposta que encontrei é que ele é a única pessoa forte o bastante para nos mostrar como superar coisas assim”.

LEIA MAIS

Indy: corrida movimentada em Portland muda rumos do campeonato

Indy: corrida movimentada em Portland muda rumos do campeonato

Anterior

Indy em Laguna Seca tem domínio de Herta e Palou quase campeão

Próximo

Você também pode gostar de

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *