Fernando Diniz foi demitido após a derrota para o Atlético-GO. Foto: Reprodução/Facebook.

Fernando Diniz não resistiu. Após uma sequência de seis jogos sem vitória e o São Paulo despencar da liderança para a quarta colocação no Campeonato Brasileiro, o treinador foi demitido na última segunda-feira (1).

Na passagem pelo Tricolor foram vários fiascos, como as eliminações no Campeonato Paulista para o Mirassol, na Copa Sul-Americana para o Lanús e na fase de grupos da Libertadores.

Diniz pecou por insistir em um modelo de jogo que acredita e não conseguir encontrar outras soluções quando necessário. O relacionamento com os atletas também parece ter se desgastado, principalmente após a discussão com Tchê Tchê.

O treinador, porém, está longe de ser o único culpado pela má fase e os últimos anos ruins do Tricolor.

DINHEIRO MAL GASTO

Junto com Diniz saiu o ídolo Raí, que era diretor de futebol do clube (pediu demissão, já que sairia ao final do Brasileirão). Sua gestão, iniciada em 2018, foi marcada pelo investimento alto e mal feito em alguns jogadores que não trouxeram o retorno esperado ao clube.

Os veteranos Nenê e Diego Souza pouco fizeram e saíram. O goleiro Jean se envolveu em uma briga com a esposa e acabou emprestado ao Atlético-GO. O colombiano Tréllez foi emprestado, voltou e hoje é um reserva que rende pouco quando entra. Pablo até agora não justificou os 7 milhões de euros investidos e amarga a reserva.

Outro ponto que chama a atenção negativamente é a troca de técnicos no início de 2019. Após a demissão de Diego Aguirre, Raí apostou no inexperiente André Jardine para iniciar a temporada e o São Paulo acabou eliminado na pré-Libertadores para o Talleres-ARG.

Pablo custou caro, mas nunca se firmou pra valer e atualmente é reserva no São Paulo. Foto: Reprodução/Facebook.

MEXIDA NA HORA ERRADA

A partir de 2021 assumiu a presidência do São Paulo Julio Casares. Com isso, mudanças foram feitas na diretoria, como a saída de Alexandre Pássaro e a chegada de Muricy Ramalho.

Como a temporada 2020 foi estendida até fevereiro por causa da pandemia, essa troca de pessoas que estavam no dia-a-dia do clube na reta final das competições também é apontada por muitos que acompanham o cotidiano do Tricolor como fator que contribuiu para a queda de rendimento do time.

POUCA GRANA

Para suceder Fernando Diniz, a diretoria do São Paulo pensa em um técnico estrangeiro. Independentemente de quem assuma, o novo treinador terá pouco dinheiro em caixa para investir em contratações. Além disso, jogadores de destaque podem sair, como já vem acontecendo com o Tricolor nos últimos anos.

Raí pediu demissão após a saída de Diniz. Foto: Reprodução/Facebook.

Opinião: Santos foi guerreiro, mas Palmeiras mereceu o título

Anterior

Fórmula 1: O que muda com a mudança da Globo para a Band?

Próximo

Você também pode gostar de

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *