Campeão da Libertadores, Palmeiras é o representante da América do Sul no Mundial de Clubes. Foto: Reprodução/Facebook.

Campeão da Libertadores, o Palmeiras inicia neste domingo (7) a busca pelo Mundial de Clubes da FIFA, que reúne os campeões dos torneios continentais da América do Sul (Palmeiras), América do Norte, Central e Caribe (Tigres-MEX), Europa (Bayern de Munique-ALE), Ásia (Ulsan-COR), África (Al-Ahly-EGI) e um time do país-sede (Al-Duhail-QUA). O representante da Oceania, Auckland City-NZL, desistiu por causa dos protocolos da Covid.

O primeiro adversário do Verdão será o Tigres, pelas semifinais. Na outra chave, o Bayern encara o Al-Ahly na segunda-feira (8).

Esse campeonato sempre foi tratado no Brasil por clubes e torcedores dos times que ganham a Libertadores como um grande objetivo. A chance de bater de frente e derrotar os gigantes da Europa na decisão. Algumas vezes, o Mundial é tratado como objetivo principal, sendo a Libertadores o “atalho” para se chegar a esse objetivo.

Entretanto, no panorama do futebol atual alcançar o título mundial está cada vez mais difícil. Os vencedores da Champions League, principais favoritos do torneio, são equipes multimilionárias, verdadeiras seleções transnacionais onde atuam os principais jogadores do mundo. A diferença de qualidade dos times sul-americanos para os europeus está cada vez mais distante, pois os bons jogadores que aparecem na América do Sul vão atuar na Europa.

Goleiro do Palmeiras, Weverton terá a missão de parar os ataques adversários no Mundial. Foto: Cesar Greco/Palmeiras.

PALMEIRAS X BAYERN

Segundo o site Transfermaket, o elenco total do Palmeiras, campeão da Libertadores 2020, soma 96, 50 milhões de euros. Já o principal adversário no Mundial, Bayern de Munique, campeão da Liga dos Campeões, tem o elenco avaliado em 879,50 milhões de euros.

O time palmeirense é um dos melhores a nível nacional e tem potencial para brigar pelos principais títulos da América do Sul, como visto na conquista da Libertadores. Apenas quatro jogadores são convocados constantemente para seleções nacionais: Weverton e Gabriel Menino (Brasil), Gustavo Gómez (Paraguai) e Vinã (Uruguai).

Já o Bayern conquistou Campeonato Alemão, Copa da Alemanha e Liga dos Campeões, o principal torneio de futebol do mundo na última temporada. O time tem a base da seleção alemã (Neuer, Kimmich, Gnabry), o melhor jogador do mundo (Lewandowski) e outros jogadores que também atuam em suas seleções nacionais (Alaba, Pavard, Davies, por exemplo).

É claro que, se esse jogo acontecer, o Palmeiras pode vencer. Para isso será necessário uma estratégia de jogo bem feita, aproveitando as poucas chances de gols que certamente terá.

Outro fator que pode ajudar é um possível relaxamento e nível de intensidade de jogo menor por parte dos alemães, envolvidos em uma maratona de jogos por outras competições com o Mundial no meio, além do pouco prestígio e importância que os europeus historicamente dão à competição.

Melhor do mundo, atacante polonês Robert Lewandowski é um dos principais jogadores do Bayern de Munique. Foto: Reprodução/Facebook.

Fórmula 1: O que muda com a mudança da Globo para a Band?

Anterior

Palmeiras, Tottenham e a constatação: futebol pragmático é competitivo, mas não suficiente

Próximo

Você também pode gostar de

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *