Nadal celebra a conquista de Roland Garros. Reprodução: Facebook/ Roland Garros

O evento francês contou com uma série de mudanças, por causa da pandemia, as principais são: a mudança de datas e a limitação de pessoas presentes no espaço esportivo.

Outra novidade para a edição foi o uso de bolas mais duras e o teto retrátil na quadra principal.

A participação do tenista brasileiro Thiago Monteiro, eliminado na terceira rodada pelo húngaro Márton Fucsovics por 3 sets a 0, pode ser satisfatória.

Na edição passada, o tenista perdeu na rodada inicial para o sérvio Dusan Lajovic.

Porém, fica muito distante das melhores participações brasileiras no evento francês.

A última foi a conquista do título por Gustavo Kuerten, em 2001.

Após o triunfo, nenhum brasileiro repetiu o bom desempenho.

Uma grata surpresa no território francês, nesta edição, foi com os vizinhos sulamericanos. No masculino, o argentino Diego Schwartzman ficou na semifinal, após perder para Nadal por 3 sets 0, com parciais 3/6; 3/6; 7/6.

A participação do argentino foi muito elogiada, por conta da vitória sobre austríaco Dominic Thiem, um dos candidatos ao títuto, atual número três do ranking ATP e campeão do US Open.

No feminino, Nadia Podoroska, vinda do torneio classificatório, derrotou a ucraniana Elina Svitolina por 2 sets 0 nas quartas de final.

Na semifinal, Nadia perdeu para a polonesa Iga Swiatek, campeã de Roland Garros.

 Os fatos comprovam a tradição argentina no cenário profissional de tênis.

Na chave masculina de simples, o espanhol Rafael Nadal venceu Novak Djokovic por 3 sets a 0, com parciais de 6/0; 6/2; 7/5.

A Final

Nadal começou a partida confiante, impôs o estilo agressivo, com as bolas paralelas, o backhand cruzado e não teve dificuldade para fechar o primeiro set.

No segundo set, Djokovic venceu o primeiro game, Nadal empatou na sequência, impôs a superioridade técnica e fechou o segundo set do jogo.

O terceiro set foi o mais equilibrado da partida com os dois tenistas jogando em alto nível.

Porém, no décimo primeiro game, Nadal quebrou o serviço do servo e marcou 6 a 5, com o saque a seu favor.

No game seguinte, Nadal confirmou o serviço e fechou o jogo. O espanhol conquistou pela 13º vez o torneio e chegou a 20 Grands Slams na carreira, igualando a marca de Roger Federer.

Recorde igualado e Ricciardo no pódio. Análise do GP de Eifel

Anterior

O melhor de todos, uma estrela no auge e voltas por cima: Lakers campeão

Próximo

Você também pode gostar de

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *